"Amar e Servir"

"Fora da caridade não há salvação."
Allan Kardec

Nossa Sede
Estrada do Pau Ferro, 325 - Jacarepaguá - Rio de Janeiro - RJ

Contato
(21) 3392-5700 - (21) 3392-5600

Mensagem em Texto - 27 / dezembro / 2017

ARREPIOS: PORQUE SENTIMOS?

A primeira coisa que você precisa saber sobre sentirmos arrepios é que está tudo relacionado com as energias que fluem no corpo.

O corpo físico das pessoas emana e é irrigado por energia. Por isso, no dia a dia, é comum entrar em contato e interagir com diversas formas energéticas, sendo comum que haja trocas de energia.

Nesse contexto, o arrepio é uma sensação muito comum que todos nós sentimos, seja de forma consciente ou inconsciente. E ocorre quando se entra em contato com outros campos energéticos em densidades diferentes do presente, naquele corpo.

Arrepios: um exemplo prático

Aliás, saiba que, em todo o nosso corpo temos fluxos de energia, como filamentos e, se somos tocados fisicamente, esses filamentos podem se quebrar, fazendo fluir a energia. E quando ocorre essa abertura, o fluxo é ainda maior. Essa é uma das causas do arrepio.

Você pode entender melhor ao realizar uma analogia: sabe quando abrimos uma torneira e fechamos? O jato é maior e contínuo. O mesmo acontece com essa energia. Ela é interrompida por alguns segundos e depois volta a circular aquela região.

Arrepios: por que temos essa sensação?

Percebe-se que o arrepio, nada mais é do que a passagem da energia. É onde você tem a consciência de que realmente algo entrou em contato com o seu corpo, por assim dizer. A descarga de energia é o arrepio. Quando se faz uma massagem, quando sentimos medo, quando levamos um susto ou até quando ficamos emocionados ou ansiosos.

Mas não apenas isso, como veremos a seguir.

Arrepios: Energias positivas e negativas.

Porém, nem sempre as energias são positivas. Você já deve ter sentindo um arrepio acompanhado de um mal-estar, seja em contato com outra pessoa ou simplesmente sentindo que algo passou por você ou está perto.

Esse arrepio indica o quanto a energia está negativa no ambiente ou na pessoa. Pode ser que esse local tenha sido palco de brigas, discussões ou mesmo violência. É claro que esse tipo de energia estará acoplado nesse ambiente. É sugerido que, nesse caso, você saia do lugar e tente pensar em coisas positivas, otimistas, elevando seus pensamentos. Em suma: mudando seu próprio campo energético.

O mesmo vale se você estiver em, ou chegar perto de um ambiente que transmita paz, tranquilidade, bondade e muita felicidade. Quando você sente arrepio, quer dizer que está em contato com um fluxo de energia muito grande.

Caso você perceba essa energia positiva, e recomendado que você sinta esse momento, porque pode ser que uma entidade de luz esteja passando para lhe dar uma benção.

É ainda mais comum que haja muitos arrepios durante a relação sexual ou quando se ama outra pessoa e sente as carícias. O motivo é simples: como há duas pessoas, o fluxo de energia é diferente entre elas e quando ocorre o toque, o fluxo é liberado, levando aos arrepios e sensações diversas.

Pode-se dizer, inclusive, que o arrepio é um tipo de sensor, que ajuda você a se preparar para o fluxo de energia que está passando por você, para justamente não passar despercebido, por exemplo, seja para que você aproveite a sensação, seja para se proteger da interferência.

SENSIBILIDADE ARREPIOS

 

1) Quando de um médium de suficiente sensibilidade se aproxima um espírito desencarnado (e por vezes mesmo uma criatura encarnada que não tenha sido percebida por seus sentidos) a aura do espírito toca na aura do médium e os nervos cutâneos são atingidos e sensibilizados. Dá-se então pequeno (ou forte) choque nervoso, que faz que se contraiam os arrectores pilorum, eriçando-se os pelos, e a pele fica arrepiada.

2) Quando o médium percebe a aproximação de uma entidade, pode distinguir se se trata de alguém com elevação espiritual e bons sentimentos, se houver contato com excitação dos bulbos de Krause (sensação de frescor ou frio, como “ar condicionado”); ou se o espírito é involuido e de más intenções, pois neste caso são atingidos os bulbos terminais e os corpúsculos de Ruffini (sensação des

agradável de calor).

3) Quando há passagem de um espírito, ou quando ele se liga ou desliga, o médium recebe uma descarga nos nervos epidérmico, sobretudo ao longo da coluna vertebral, contraindo-se todos os arredores pilorum, dessa região, geralmente subindo do cóccix ao occipital. A mesma sensação é experimentada quando alguém depara repentinamente, por exemplo, com um cachorro, assustando-se por temê-lo.

 

4) Mesmo quando não há, propriamente, aproximação de espírito, pode, o sensitivo, ao evocar mentalmente ou por palavras, o nome de uma pessoa ou um fato, sentir o “arrepio” (pele de galinha) mais ou menos intenso, sendo mais frequente nos antebraços que no corpo inteiro. Trata-se de uma emissão do simpático da própria criatura, sob o impacto da emoção, provocando irradiação pela superfície cutânea.

Carlos Torres Pastorino – Técnicas da Mediunidade.

Compartilhe: Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someone