"Amar e Servir"

"Fora da caridade não há salvação."
Allan Kardec

Nossa Sede
Estrada do Pau Ferro, 325 - Jacarepaguá - Rio de Janeiro - RJ

Contato
(21) 3392-5700 - (21) 3392-5600

Mensagem em Texto - 18 / novembro / 2017

“FOI CACILDA QUEM ME CONTOU…”

 

No dia 14 de junho de 1969, vítima de um derrame cerebral, desencarnou a grande estrela de teatro Cacilda Becker que, na maioria das vezes, representava em autêntico transe mediúnico.

Anos depois, em Uberaba-MG, seu filho Luiz Carlos Becker perguntou ao Chico Xavier que bilhete era aquele a que ele (Chico) tanto se referia quando se encontravam.

Chico Xavier explicou que aludia às poucas palavras escritas num pedaço de papel que ele, Luiz Carlos, às escondidas, colocara sob o travesseiro onde descansava a cabeça de sua mãe, minutos antes de levarem o caixão mortuário.

Você escreveu, prosseguiu Chico Xavier, o seguinte: “Mamãe, vai em paz, que aqui a gente se vira. Beijos do seu filho “Cuca”.

Perplexo, Luiz Carlos indagou como o Chico Xavier soubera da existência do bilhete, se, até aquela data, nunca revelara a ninguém, nem mesmo à sua esposa, Dorita, a curta frase que grafara, às ocultas, na hora dolorosa do enterro do corpo físico de sua mãe.

Quase envergonhado, com humildade e naturalidade, Chico Xavier esclareceu: “Foi Cacilda quem me contou…”

Luiz Carlos tornou-se espírita…

(do site http://sorriso.mforos.com/)

 

Compartilhe: Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someone